Novidades
Inicial / Artigos / Dicas para escritores / ENTREVISTA: 5 perguntas para Hugo Sales sobre o Prêmio Strix

ENTREVISTA: 5 perguntas para Hugo Sales sobre o Prêmio Strix

Hugo Sales

Hugo Sales é escritor e já publicou contos em mais de 10 coletâneas literárias de duas editoras, entre elas a Andross Editora. Foi indicado ao Prêmio STRIX 4 vezes e ganhou a estatueta em 3 ocasiões. Depois disso, foi convidado pela Andross Editora a ser organizador da coletânea literária Mão de ferro – contos distópicos. O Em Contexto conversou com ele sobre essa premiação.

1] Hugo, como é a sensação de ganhar um prêmio literário?

Troféu do Prêmio Strix

Acredito que qualquer reconhecimento por parte de seus leitores é maravilhoso. Por isso, acho vital o feedback entre os autores das coletâneas; mas a sensação de ter tido um dos textos que mais cativaram os leitores é singular. Se fico com frio na barriga durante a entrega do Oscar, imaginem como não fiquei com o clima de entrega, durante as premiações. Posso receber outros prêmios maiores, mas o Strix fez-me entender que eu tinha capacidade pra seguir na escrita. Digo isso porque no ano em que venci o primeiro Strix, eu tinha pensando em não publicar com a Andross, mas acabei seduzido pelos livros Legado de Sangue e King Edgar Hotel, que acredito serem os melhores trabalhos de terror da editora.

2] Você criou os contos pensando em ganhar o prêmio ou essa premiação foi consequência?

Meu primeiro conto premiado nasceu sem ambição. Escrevi e adorei o processo todo, e o trabalho foi agraciado com o prêmio. Sério, vocês já viram a capa do livro Legado de Sangue? Que maravilha! Eu precisava publicar nele! Confesso que no caso dos outros contos eu me esforcei muito para entregar algo bom, realmente bom, claro, para poder entrar forte no segundo Strix. Por conta disso, fui atrás de aprender mais, conversar e ouvir mais os organizadores — o Alfer Medeiros, por exemplo, acho que lembra das sete versões do meu conto do King Edgar Hotel. E dei trabalho pra Paola Giometti também, no Outrora. (risos) Já o Leandro Schulai me deu uma dica valiosíssima no meu conto premiado, que fez parte do livro Sabor da Paixão. Se posso dar um conselho a novos autores, é o seguinte: aproveitem o que a Andross oferece. Sério. Os eventos, os organizadores, as coletâneas, o prêmio. Tudo. E não estou puxando sardinha não! Eu já escrevi isso em vários lugares em outras oportunidades, antes do convite do editor Edson Rossatto, ano passado.

3] Você se ressente em não poder mais concorrer por ter se tornado organizador?

Conto “Sempiterno,”

De forma alguma! Acredito que vivi um ciclo incrível dentro da Andross. Agora estou começando outro, com a oportunidade de organizar um dos livros. É a continuação dele. Agora quero ver vários autores crescerem e concorrerem ao prêmio. Será bacana demais. E outra: agora posso usar o que aprendi para passar aos autores que entrarem nessa empreitada. Fico contente com isso. Quero pode retribuir toda a atenção e experiência que ganhei com os autores que estão conhecendo a Andross agora.

4] Por ser organizador de coletâneas da Andross Editora, você passou a conhecer os bastidores da votação. O que pode nos dizer sobre o método de votação?

Conto “O Silêncio de Gael

Lembro-me que quando li o regulamento pela primeira vez e como seria a votação, pensei: isso é ótimo! Assim, os autores se sentirão motivados a ler o livro todo. Sei que nem todos leram. Mas, falando por mim, devorei os livros! O King Edgar Hotel, o Legado de Sangue e o De Repente, Nós. Li o miolo deles em PDF que foi enviado na última correção, nem esperei os livros saírem. Na época, achei legal toda os feedbacks entre os autores, além de apurar o meu olhar crítico. Todas as coletâneas são concebidas pelo esforço coletivo dos autores e da editora. Vejo como algo bem justo que os próprios autores possam ranquear seus contos favoritos, na primeira fase. Sei que muitos pensam: Ah, mas eu posso votar só nos meus amigos. E pode mesmo. Contudo, se o conto não tiver grande qualidade, ele ficará para trás na segunda fase, que conta com o olhar mais apurado dos organizadores. Então, com isso em mente, vale a pena votar no seu amigo apenas por esse motivo ou ser justo e escolher aquele conto que mais mexeu com você? Encorajo todos escolherem a segunda opção. E como todos que já participaram podem comprovar, a transparência da editora no processo todo é admirável.

Conto “O Anjo de Lata

5] A cerimônia de entrega é realizada durante o evento Livros em Pauta. Na última cerimônia, você dedicou um dos prêmios à amiga e escritora Márcia Miyazaki, que também era autora da casa e veio a falecer. Qual foi sua reação quando soube que a Andross criou este ano o “Strix de prata” para laurear pessoas que fizeram muito pela Andross e pelos seus autores, e que Márcia será a primeira homenageada?

Hugo e Márcia

A Márcia era uma grande amiga e uma pessoa maravilhosa. Éramos uma dupla e tanto como leitores betas um do outro: eu enviava os meus textos para ela opinar, assim como ela enviava os seus para mim. Tínhamos uma reciprocidade, carinho e admiração sem tamanho. Juntos, com outro grupo de amigos, fundamos o fanzine Zinescritos. Sem realmente fazer marketing da Andross, sem essa intenção real, ela trouxe muitas pessoas para a casa. Para mim, conhecê-la através de um Livros em Pauta e cultivar uma amizade tão forte em tão pouco tempo talvez seja o maior prêmio que a Andross me deu. Ainda é difícil falar sobre ela sem deixar escorrer umas lágrimas. Escrevi um resenha sobre um de seus contos, está publicada aqui no Em Contexto, e falo isso aqui para que vocês a conheçam através do legado deixado aqui na Terra. Ela se foi, mas, graças ao poder da escrita, ainda está aqui. Fiquei emocionado quando soube do Strix de Prata, que será dedicado a ela. A Márcia realmente merece mais essa homenagem. Assim como, tenho certeza, outras pessoas deram muito suor e apoio para que a Andross crescesse. É uma forma de demonstrar gratidão. E gratidão sempre é algo belo.

FACEBOOK: /Huggocore

TWITTER: @huggocore

Sobre Edson Rossatto

É escritor, roteirista de quadrinhos, editor de livros, curador do prêmio literário Strix, organizador do evento cultural Livros em Pauta e apresentador do talkshow EM CONTEXTO, exibido todas às terças-feiras, ao vivo, às 21h, pela webtv flixtv.com.br.

Veja também

COMO FOI: Impressões sobre a primeira edição do Corujandross

Na madrugada de 4 para 5 de fevereiro de 2017, aconteceu a primeira edição do …

ENTREVISTA: Ficção científica: como escrever?, com Roberto de Sousa Causo

O interesse por ficção científica cresce a cada ano. Mas afinal, o que uma história …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *