Novidades
Inicial / Artigos / ARTIGO: 8 Dicas para você escrever histórias Steampunk

ARTIGO: 8 Dicas para você escrever histórias Steampunk

O Steampunk é um subgênero da ficção científica que ganhou fama nos anos 80 e 90 e é inspirado nas obras de Júlio Verne, H.G. Wells, entre outros. As histórias do gênero mostram uma realidade paralela, na qual a tecnologia mecânica a vapor evolui a ponto de existirem automóveis, aviões, computadores e até mesmo robôs movidos a vapor. A estética baseada na era vitoriana também é importante para definir o gênero.

Devida a todas essas peculiaridades, criar uma história Steampunk não é algo trivial. Portanto, algumas dicas de escrita sobre o tema são sempre bem-vindas. Vamos a elas!

Brasiliana Steampunk, via confrariadearton.blogspot.com.br

Lembrando que, para qualquer dica, vale sempre a regra de ouro: se quebrar uma regra ou ignorar uma dica significa dar mais qualidade ao seu trabalho, vá em frente!

P.S: Se você está lendo este artigo antes de 30 de abril de 2017, saiba que estou organizando uma coletânea de contos Steampunk pela Editora Andross e estamos abertos a submissões! Mais detalhes no final do artigo.

É essencial ter um mundo totalmente desenvolvido, mas é preciso ter em mente que personagens e narrativa devem ser sua prioridade.

1. História é prioridade

A caraterística mais importante de uma história é, bem, a própria história. Muitos contos Steampunk por aí, principalmente de autores iniciantes, acabam focando seus esforços na criação do mundo e da ambientação e isso acaba prejudicando a história. É essencial ter um mundo totalmente desenvolvido, mas é preciso ter em mente que personagens e narrativa devem ser sua prioridade. As grandes histórias (não apenas Steampunk) são sempre sobre pessoas, e não sobre zepelins gigantes. NUNCA negligencie seus personagens, pois são eles que vão conduzir seu leitor através da história. Você pode ter o mundo mais surpreendente, repleto de invenções mirabolantes e inovadoras, mas se você não tiver bons personagens, ninguém vai se interessar.

2. Ambientação também é prioridade

Resultado de imagem para steampunk art
Brain Tower, via noupe.com

Sei que este tópico contradiz o que acabei de explicar acima sobre história, mas vale a pena mencionar. Enquanto algumas pessoas se empolgam tanto com seus mundos que acabam esquecendo os personagens, há também quem negligencie a ambientação completamente. No caso do Steampunk, isso pode acontecer quando alguém pega uma história já pronta não-Steampunk e tenta “enfiar” elementos Steampunk nela. Não quer dizer que isso não possa ser feito, mas, quando for escrever uma história Steampunk, certifique-se de que a ambientação seja essencial para a trama. Estética é parte importante da narrativa, principalmente no gênero Steampunk.

Steampunk é um excelente cenário para histórias que envolvam aventuras, exploração e para refletir sobre o avanço tecnológico na sociedade.

Talvez ajude se você pensar na ambientação como um dos personagens de sua história. E, como qualquer personagem, se ela não servir nenhum propósito, corte fora. Eu sei que não dá pra remover a ambientação de uma história, mas se as duas coisas não funcionarem juntas, algo tem que ser alterado. Steampunk é um excelente cenário para histórias que envolvam aventuras, exploração e para refletir sobre o avanço tecnológico na sociedade, além de milhares de outros temas.

3. Não crie uma história Steampunk apenas “Porque sim”

Como expliquei acima, sua ambientação necessita ser essencial para a história, ou então irá parecer confusa, dispersa, ou qualquer outro adjetivo que você não vai querer ouvir sobre sua história. Se você tem um grupo de personagens sobre os quais você quer escrever uma história, pense consigo mesmo, “não seria bacana enfiar uns elementos Steampunk aqui no meio?”. Se você fizer isso, a história provavelmente não será a melhor que você pode contar. Não adicione elementos Steampunk sem pensar como eles podem afetar diretamente sua narrativa. Eles precisam fazer sentido juntos.

4. História alternativa

Exatidão histórica é sempre desejável, mas nem sempre essencial. Quando se escreve um livro, ou até mesmo um conto, você precisa pesquisar MUITO. De fato, você pode acabar se tornando um expert na área de pesquisa da sua história. Entretanto, lembre-se de manter o equilíbrio na hora de incluir detalhes históricos na sua narrativa. Detalhar demais irá cansar o seu leitor; em contrapartida, detalhar menos que o necessário pode confundi-lo, caso ele não esteja familiarizado com o contexto histórico.

Detalhar demais irá cansar o seu leitor; em contrapartida, detalhar menos que o necessário pode confundi-lo.

Lembre-se que a vasta maioria do seu público será formada de leigos. Você pode incluir pequenos fatos aqui e ali, mas não os torne essenciais ao entendimento da história sem explicá-los. De uma forma geral, as pessoas não têm um conhecimento aprofundado de história. A maioria das narrativas consideradas “históricas” ou baseadas em fatos são extremamente ficcionais, como filmes de Hollywood. A criação de histórias alternativas é uma ferramenta riquíssima na ficção, principalmente no gênero Steampunk, que essencialmente aborda uma realidade alternativa à nossa atual. Apenas tenha em mente a importância de deixar claro aos seus leitores onde você traça a linha do real e do imaginário.

5. Questões sociais são importantes

Ao lidar com qualquer sociedade relacionada à Inglaterra vitoriana (inspiração original do Steampunk), ou outro cenário desejado (por que não criar uma aventura Steampunk no Brasil? O autor da série Brasiliana Steampunk faz isso de forma magistral) é importante não ignorar as partes menos “românticas” da época. A primeira imagem que vem à nossa mente quando falamos de era vitoriana é a de um grupo de gente rica sentada ao redor de uma lareira bebendo chá Earl Grey. Apesar disso, existem milhares de pobres por aí, sobrevivendo ás custas da extravagância dos ricos. Mesmo que sua ficção seja escapista (e não há nada de errado nisso), se você ignorar estas questões sociais, seu mundo pode parecer superficial.

Por que não criar uma aventura Steampunk no Brasil?

Não caia no clichê de ter seu mundo populado por apenas um tipo de gente (por exemplo: só homens, só pessoas brancas, só ricos, só pessoas atléticas). Crie personagens com diversidade de atitudes e experiências, até porque isso significa que haverá bastante conflito em sua história (isso é ÓTIMO). Lembre-se, você quer convencer seu leitor de que seu mundo realmente existe, mesmo que nele habitem golens gigantescos em plena São Paulo!

6. Não “force” o estilo de sua escrita

A ficção escrita na era vitoriana possuía um estilo bem distinto. Poucas são as pessoas que conseguem imitar esse estilo atualmente; nós somos ensinados a escrever de forma distinta, e nossos leitores leem de forma diferente de como se lia antigamente. Se sua escrita não fluir naturalmente no estilo vitoriano, não force. Seu leitor vai perceber.

7. Tecnologia é importante

Screenshot
The War Machine, via noupe.com

Steampunk é, em sua essência, sobre tecnologia. Sem as mudanças tecnológicas, Steampunk seria apenas sobre a estética vitoriana. Entretanto, a tecnologia é uma faca de dois gumes, e pode ter repercussões abrangentes (perceba como o mundo mudou depois da Revolução Industrial).

Se você quiser criar uma ferramenta/máquina/engenhoca Steampunk para o seu mundo, você precisa fazer uma dessas coisas:

  • Explicar porque esta ferramenta é única e ninguém mais pode ter uma;
  • Mostrar como esta ferramenta afeta seu mundo.

Steampunk é, em sua essência, sobre tecnologia.

Qualquer avanço tecnológico, por menor que seja, pode mudar o mundo. Por exemplo, no livro Vinte Mil Léguas Submarinas, de Júlio Verne, o submarino Nautilus do Capitão Nemo é visto pelo público como um monstro marinho, permitindo que Nemo opere com impunidade. Se o público soubesse que ele possui um submarino funcional, os cientistas daquele tempo imediatamente tentariam replicar seu trabalho.

Não use tecnologia indiscriminadamente; pense sobre seus efeitos no mundo, e seja consistente com seu uso.

8. Moda também é Importante

Resultado de imagem para steampunk male
Time Traveler, via flickr.com

O que seus personagens vestem, e por quê? Eles podem usar as vestimentas Steampunk mais ridículas que você imaginar, mas você rapidamente irá perder seu leitor se suas personagens femininas usarem biquínis de couro enquanto pilotam dirigíveis. Bom, você perderá ALGUNS leitores, pelo menos. Ponha os pilotos masculinos em roupa de baixo sensuais também e você talvez os ganhará de volta.

Falando sério, garanta que seus as roupas de seus personagens se encaixem na sociedade em que vivem e na atividade que exercem. Você vai se aventurar usando um vestido gigante? Não. Na era vitoriana existiam diversas roupas aceitáveis e funcionais para mulheres, como, por exemplo, calções especiais para ciclistas.

Pense no que seu personagem está vestindo e se pergunte a razão dele vestir tal roupa. Sociedade? Ego? Funcionalidade? Quanto mais apropriada a roupa, mais real ele parecerá.

Afinal de contas, minha história é ou não é Steampunk?

Se você está se perguntando isso enquanto escreve, você provavelmente está fazendo isso errado. Escreva a história que você quer, na ambientação que você quiser. Se ela acabar se tornando uma história Steampunk, ótimo! Só assim você terá uma boa história para se orgulhar. No fim das contas, não importa onde sua história se encaixa, contanto que não seja numa lata de lixo.

Escreva a história que você quer, na ambientação que você quiser. Se ela acabar se tornando uma história Steampunk, ótimo!

Sua história é sua chance de se expressar. Use essa chance e seja verdadeira consigo mesma (ou verdadeiro consigo mesmo); é isso que importa!

Este artigo foi inspirado no texto 8 Tips and Tricks Every Steampunk Writer Should Know, de Austin Sirkin, e publicado com a bênção do autor.

 Envie seu conto para a coletânea Steamfiction!

 Contos steampunk

Juntamente com a Andross Editora, estou co-organizando a Steamfiction, uma coletânea de contos de temática Steampunk, juntamente com o fantástico Alex Mir.

Os interessados podem ler as regras e submeter seus textos até 30/04/2017 através deste link.  Nós cuidamos muito bem de cada um dos contos e ajudamos o autor ou autora a refinar seu texto para que tenhamos um livro com o máximo de qualidade!

Sobre Thiago Lee

Escritor de fantasia/ficção científica e ser humano nas horas vagas. Conheça mais sobre o meu trabalho em meu podcast http://curtaficcao.blubrry.com

Um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *